São rosas, Senhor!

Corria o século XIII, viviam os Reis de Portugal em Coimbra e o milagre aconteceu. Reza a lenda que a Rainha consorte de D. Dinis era uma mulher culta e elegante, mas acima de tudo generosa e amiga do povo. Era inverno e a Rainha Santa Isabel saía de casa com pão escondido no regaço para ir dar de comer aos pobres quando foi parada pelo seu marido:

– Que levas aí? – perguntou ele.

– São rosas, Senhor!

– Rosas em Janeiro?

– São rosas, Senhor, são rosas!

2016_07_09

E ao abrir o manto para mostrar o que levava escondido no regaço: sim, eram rosas!

Este é o milagre que foi atribuído à Rainha Santa Isabel, rainha de Portugal e padroeira de Coimbra onde, por este dias, se celebra a sua vida de bondade e a lembrança de alguém que tudo fez para ajudar quem mais precisava.

No Convento de Santa Clara à Nova podemos este ano, ano dos 500 anos da beatificação da Rainha Santa, ver a sua mão intacta mesmo depois de passados 680 anos do dia da sua morte.

Querendo ver mais além do que aquilo que nos permitem a fé e a ciência, mesmo quando tentamos unir o que estes dois óculos do mundo nos mostram, o mais importante para mim é aprender com quem soube ser melhor que nós a transformar o mundo num lugar mais perfeito. Na minha opinião, devemos ir, ver e celebrar. Pensarmos sobre as nossas ações do dia a dia e em como podemos ser pessoas melhores!

Muito Bom

Muito Bom

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s