A «Guerra e Paz» da Rússia de Tolstói

Toda a gente me falava desta grande obra. Volta e meia lá vinha um artigo num jornal ou revista que citava a obra de Tolstói. E eu sentia-me ignorante por não conhecer o autor, ao mesmo tempo que crescia em mim o fascínio por ele.

E eu, que sou moça de compras ajuizadas, lá fui espreitando os preços. Mas esta obra tem a particularidade de estar dividida em 4 volumes. Isto já era um investimento avultado! Lá fui espreitando as promoções, fazendo contas, e um dia as 4 obras apareceram no meu sapatinho! O Menino Jesus estava atento aos meus desejos e, segundo parece, nesse ano portei-me bem.

Depois de ter a obra em casa é preciso ganhar fôlego para a ler. Um dia enchi-me de coragem e comecei, para só parar na última linha, no último ponto final.
Não foi tudo fácil. Quase desistia antes de chegar às 50 páginas… São mais de 500 personagens, com nomes difíceis e parecidos! É preciso exercitar a memória para saber quem é quem e entrar no enredo. Depois… depois fui conduzida, palavra por palavra, como se estivesse a dançar num dos vários bailes retratados na trama. Imaginar os salões, as indumentárias, as intrigas políticas, os medos, a guerra… Imaginar a cidade de Moscovo, com todo o seu esplendor, em chamas para evitar a vitória de Napoleão… Oh, que prosa deliciosa!Podemos não perceber muito de política, mas percebemos bem a natureza humana e que muitas vezes os nossos umbigos – os nossos interesses pessoais – levam a melhor sobre o bem comunitário. Na política em tempos de guerra ainda mais!
Quando cheguei ao fim pensei: um dia vou à Rússia para ver de perto as cidades de Moscovo e S. Petersburgo. Se der ainda passo em Borodinó! Mas acho melhor não ir no inverno, os franceses pagaram caro essa gracinha.

2016_02_24

A RTP está a passar a série, às quartas-feiras. Eu tenho seguido, sem contudo, conseguir disfarçar a desilusão… a série deixa de fora muitas emoções, muitos pensamentos políticos e sociais. A série pode servir para vos despertar curiosidade, mas garanto que os 4 volumes da história são muito melhores.

Ah, só um aparte: a minha edição é da Editorial Presença, e nela é explicado que a obra é conhecida por Guerra e Paz devido a um erro de tradução inicial, visto que onde hoje está a palavra Paz, deveria estar algo como universo, sociedade, mundo humano. Pode parecer que isto não importa nada, mas depois de lerem a obra, vão perceber que «sociedade» ou «mundo humano» se encaixaria muito melhor no que Tolstói nos quis mostrar.

Ao ‘mergulhar’ nas páginas desta obra, o afiómetro fica….

No Paraíso

No Paraíso

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s