Que parva que eu sou – Deolinda

Pensei em escrever tantas coisas mas hoje a letra desta música não me sai da cabeça. Há dias complicados na vida de quem quer trabalhar, fazer coisas, evoluir na sua profissão e na sua vida. Hoje acordei a sentir-me assim, como nos cantam os Deolinda. Prometo voltar para falar das fantásticas histórias que as suas canções nos contam, bem como da voz única de Ana Bacalhau… Mas hoje quero apenas saber:

Que música define a tua vida neste momento?

Sou da geração sem remuneração
E nem me incomoda esta condição.
Que parva que eu sou!

Porque isto está mal e vai continuar,
Já é uma sorte eu poder estagiar.
Que parva que eu sou!

E fico a pensar,
Que mundo tão parvo
Que para ser escravo é preciso estudar.

Sou da geração ‘casinha dos pais’,
Se já tenho tudo, para quê querer mais?
Que parva que eu sou!

Filhos, marido, estou sempre a adiar
E ainda me falta o carro pagar,
Que parva que eu sou!

E fico a pensar
Que mundo tão parvo
Onde para ser escravo é preciso estudar.

Sou da geração ‘vou queixar-me para quê?’
Há alguém bem pior do que eu na tv.
Que parva que eu sou!

Sou da geração ‘eu já não posso mais!
Que esta situação dura há tempo demais
E parva não sou!

E fico a pensar,
Que mundo tão parvo
Onde para ser escravo é preciso estudar.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s